STF mantém preso candidato do Amapá ao Senado

Jornal do Brasil

BRASÍLIA - O ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal, negou nesta terça-feira os pedidos de suspensão das prisões preventivas de Waldez Góes (PDT), ex-governador do Amapá e candidato ao Senado, e de sua mulher, Marília Brito Xavier Góes, que foram indiciados em inquérito aberto no Superior Tribunal de Justiça, juntamente com o atual governador do estado, Pedro Paulo Dias, e outras 15 pessoas. Eles são acusados de participação num esquema de desvio de recursos da União destinados à Secretaria de Educação do Amapá.

O ministro João Otávio de Noronha, relator do inquérito que corre em segredo de justiça decretou a prisão provisória dos indiciados na última sexta-feira, por um prazo prorrogável que termina hoje (quarta-feira). Com o indeferimento dos habeas corpus ajuizados no STF, cabe agora ao ministro do STJ decidir se mantém ou não a prisão dos envolvidos no esquema desbaratado pela Operação Mãos Limpas, da Polícia Federal.