SP: suspeito de matar Mércia Nakashima vai continuar solto

Portal Terra

S O PAULO - O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) negou nesta quarta-feira o desembargo de declaração proposto pelo Ministério Público na segunda-feira contra a decisão da desembargadora Angélica de Almeida, da 12º Câmara de Diretio Criminal, que concedia liberdade a Mizael Bispo de Souza e ao vigia Evandro Bezerra Silva, acusados de matar a advogada Mércia Nakashima. Com a decisão, os suspeitos continuam soltos.

De acordo com o TJ, o mérito do habeas corpus ainda não tem data de julgamento.

A advogada Mércia Nakashima, 28 anos, teria sido assassinada pelo ex-namorado e policial aposentado, Mizael Bispo de Souza, que não aceitaria o fim do relacionamento. Rastreamento de chamadas telefônicas feito pela polícia com autorização da Justiça colocariam os dois na cena do crime, de acordo com as investigações. Mizael e o vigia Evandro Bezzerra Silva são considerados pela Polícia Civil os principais suspeitos do crime. Eles negam as acusações.