Promotor diz ter sido agredido por PMs em restaurante no Maranhão

Portal Terra

S O LUÍS, MARANH O

- O promotor de Justiça Zanony Passos Silva Filho, titular da 4ª Promotoria de Investigação Criminal de São Luís, foi agredido por oito policiais militares após uma confusão, na noite de sábado, em uma churrascaria do bairro do Vinhais, na capital maranhense. O fato foi condenado nesta segunda-feira pela procuradora-geral de Justiça do Estado, Maria de Fátima Rodrigues Travassos Cordeiro.

A Corregedoria do Ministério Público investiga o caso, mas para Fátima Travassos, ainda que o promotor estivesse alterado durante o incidente, nada justificaria atitude tão violenta. "No mínimo, os policiais se excederam. Tenho certeza de que a Polícia Militar e a Secretaria de Segurança Pública irão tomar providências para investigar e punir os envolvidos", afirmou.

Presente à entrevista coletiva concedida hoje em São Luís, Zanony Passos fez questão de mostrar as marcas do espancamento em todo o corpo, embora tenha pedido para não ser filmado ou fotografado. Ele mostrou os olhos bastante inchados e roxos, escoriações no tórax e nas costas, segundo a sua versão, consequências dos golpes de cassetete e de chutes desferidos pelos oito policiais militares que o agrediram mesmo estando algemado. O membro do Ministério Público pediu respeito, sobretudo à sua condição de cidadão. "Isso poderia acontecer com qualquer um".

Em nota, o governo do Maranhão afirmou que a Secretaria de Estado de Segurança Pública e a Procuradoria Geral de Justiça irão apurar de forma conjunta o que teria contecido na noite de sábado e como se deu a condução do promotor ao Plantão Central da Beira-Mar. Segundo a nota, ao chegar à unidade policial, Zanony Passos Filho passou mal e precisou ser levado para um hospital.

"As investigações agora são para saber da atuação dos policiais no caso e, também, sobre a conduta do promotor de Justiça no local - o que teria motivado o dono do restaurante a charmar a polícia", diz o texto.