PR: ex-diretor da Assembleia volta à prisão após decisão do STF

Portal Terra

CURITIBA - O ex-diretor-geral da Assembleia Legislativa do Paraná Abib Miguel, o Bibinho, foi preso novamente na noite desta quinta-feira. A prisão ocorreu após uma decisão do ministro José Antonio Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), que autorizou o Ministério Público do Paraná e a Polícia Federal (PF) a retomarem as investigações criminais sobre atos secretos e contratação de funcionários fantasmas no Legislativo paranaense.

As irregularidades foram apontadas em uma série de reportagens da imprensa local. Segundo o Ministério Público Estadual, o esquema foi responsável pelo desvio de, pelo menos, R$ 100 milhões dos cofres públicos, através de irregularidades como a contratação de funcionários fantasmas.

Apontado como chefe do esquema, Bibinho ficou preso de 24 de abril a 11 de junho deste ano. A liberdade do ex-diretor-geral foi por determinada por decisão liminar, também do ministro José Antonio Dias Tofolli. Na ocasião, Tofolli recebeu reclamação da defesa de Bibinho para que o processo fosse analisado pelo STF, e não pela Justiça Estadual, e determinou a suspensão de todo o trâmite processual até que o Supremo julgasse a reclamação. Ontem, o ministro suspendeu os efeitos da liminar.

Além de Bibinho, também foi preso na quinta-feira o ex-diretor administrativo da Assembleia José Ary Nassiff. Cláudio Marques da Silva (ex-diretor de pessoal da Casa) e o ex-funcionário da Casa Daor Afonso Marins de Oliveira são procurados pela polícia.