Pnad: taxa de fecundidade sobe no Brasil, mas não é tendência

Luis Pinheiro, Portal Terra

RIO DE JANEIRO - O presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Eduardo Pereira Nunes, afirmou que a pequena alta na taxa média de fecundidade brasileira na comparação entre 2008 e 2009 não representa uma tendência. De acordo com ele, os indicativos históricos mostram que o País se aproxima de patamares europeus.

O índice, divulgado nesta quarta-feira com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), mostra que a média de filhos por mulher no Brasil é de 1,94, contra 1,89 em 2008. Foi a primeira alta na taxa desde 2001.

"A queda na taxa de fecundidade no Brasil está sendo inclusive mais rápida do que ocorreu na Europa", disse Nunes.

De acordo com o IBGE, a taxa se equipara a de países como França, Chile e Reino Unido.

Na Pnad 2009, foram pesquisadas 399.387 pessoas e 153.837 unidades domiciliares distribuídas por todas as Unidades da Federação. A pesquisa mostrou também que o Brasil está envelhecendo, principalmente, no Sudeste e Sul. Os brasileiros com mais de 60 anos representam 12,7% da população no Sudeste e 12,3% no Sul. Somando as pessoas acima de 40 anos nestas duas regiões, a pesquisa mostra que um terço do total da população é jovem. Quase 40% do total têm idade superior a 40 anos.