Justiça anula provas da PF contra filho de Sarney

Portal Terra

S O PAULO - A Justiça anulou parte das provas obtidas por interceptação de e-mails durante a operação Boi Barrica, da Polícia Federal, que investigava negócios e movimentações financeiras do empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). A decisão atinge cerca de 10 mil e-mails que possuem o domínio "@mirante", utilizado pela família Sarney e pelos funcionários do Grupo Mirante, empresa dona de rádios, TVs e jornal no Maranhão. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

Na época em que a operação foi realizada, entre fevereiro de 2007 e agosto de 2008, a Justiça autorizou a quebra do sigilo de e-mails registrados em nome do grupo. Agora, entretanto, ela entendeu que, ao fazer isso, a PF teve acesso a mensagens de todos os funcionários do grupo, e não apenas dos que eram alvos de investigação. Com a anulação das provas consideradas ilícitas, os inquéritos terão que ser reescritos pela PF, o que pode atrasar a conclusão do caso. A investigação foi motivada pela movimentação atípica de R$ 2 milhões na conta de Fernando Sarney e de sua mulher, Teresa Murad Sarney.

Após mais de um ano de apuração, a PF apontou crimes de tráfico de influência em órgãos do governo federal, formação de quadrilha, desvio de recursos públicos e lavagem de dinheiro. O empresário nega as acusações.