"Ou desarmamos o mundo ou criamos a bomba", diz Levy Fidelix

Portal Terra

DA REDAÇ O - Levy Fidelix, candidato à presidência pelo PRTB, afirmou, na tarde desta terça-feira (3), ser a favor de um "país atômico". Em sabatina realizada pela Rede Record, o candidato garantiu que o Brasil precisa da força atômica para se defender. "Ou desarmamos o mundo todo ou também criamos a bomba. Temos o pré-sal para cuidar, a Amazônia... e se os americanos quiserem invadir? É necessário sim o Brasil estar com os dentes bem armados. Nosso País tem que 'nuclearisar-se'. Para atacar, não é necessário. Mas para se defender", disse. De acordo com o candidato, o Brasil precisa investir nas Forças Armadas, por ser a oitava economia do mundo, e ainda precisará da energia atômica para substituir a hidrelétrica, pois o potencial brasileiro "está se esgotando".

Fidelix também afirmou ser contra o aborto e a união civil homossexual por considerar os temas "antinaturais". O candidato disse não se deixar levar pelo o que chamou de "pressão da mídia". "Sou contra o casamento gay e aborto. Isso é antinatural. Sou a favor da vida. Está aí a religião que nos dá princípios morais, seculares. Não é porque tem pressão da mídia que devo ser a favor. (...) Se é antinatural, sou contra. Sou católico, professo a minha fé", disse. De acordo com Fidelix, é preciso prestar assistência para as mulheres que realizam abortos, mas isso não significa legalizar a ação. "Temos que minorar os problemas, mas não incentivar o aborto".

O presidenciável ainda criticou o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que já deu declarações a favor da descriminalização das drogas. "Será que o senhor já teve um filho que se envolveu com drogas, foi vítima do tráfico?". Levy Fidelix afirmou que "abre mão do voto daqueles que se drogam".