MPF questiona Gol, Anac e Infraero sobre atrasos em voos

Portal Terra

BRASÍLIA - O Ministério Público Federal (MPF) informou, nesta quarta-feira, que enviou ofícios aos presidentes da Gol Transportes Aéreos, da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e ao Diretor de Operações da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) pedindo informações sobre os problemas ocorridos nos três primeiros dias do mês de agosto, quando foram registrados um grande número de atrasos e cancelamentos dos voos da companhia.

De acordo com o MPF, no ofício enviado à Gol solicita informações detalhadas sobre os problemas que ocasionaram os "diversos e sucessivos atrasos nos voos", bem como as medidas adotadas para solucionar o problema, durante o incidente, e de forma definitiva.

De acordo com os funcionários da empresa, os atrasos teriam começado a ocorrer, em virtude da mudança no sistema de escala da Gol, comprado do exterior. A empresa admitiu que a falha no software ocasionou os problemas. No entanto, de acordo com o Sindicato Nacional dos Aeronautas, a gol tinha definido, por volta do dia 20 de julho, em reunião com a categoria realizar as mudanças na escala, que poderia acarretar nos transtornos verificados no fim de semana.

De acordo com o sindicato, a empresa teve tempo hábil para reestruturar a escala de forma que não ocorrem os atrasos e cancelamentos. De acordo com a Gol, o fim do período de féria também potencializou o problema.

O MPF pediu informações sobre medidas adotadas pela Gol para garantir os direitos dos passageiros no momento da ocorrência do fato e como que os clientes foram informados sobre o horário previsto para decolagem do seu voo, ao buscarem informações no balcão da companhia.

A Anac foi questionada pelo MPF sobre as medidas emergenciais adotadas durante os atrasos, e quais medidas pretende adotar para corrigir as falhas de forma definitiva. O questionamento foi o mesmo feito à Infraero.