Marina defende reforma política para combater corrupção

Marsílea Gombata, Portal Terra

S O PAULO - Na tarde dessa segunda-feira (9), a candidata à presidência da República pelo PV, Marina Silva, afirmou que "a reforma política é uma ferramenta fundamental para combater a corrupção". A candidata que participou de uma sabatina no Memorial da América Latina falou sobre possíveis formas de combater a corrupção. "A melhor forma de combater é fazendo com que as instituições funcionem", disse a presidenciável, referindo-se ao Ministério Publico e ao Congresso.

A senadora acrescentou ainda que é necessário disponibilizar informações sobre o Estado brasileiro para a população. "O combate à corrupção passa previamente por uma combinação de seres humanos virtuosos", ressaltou. "É fundamental que o Tribunal de Contas, que tem uma série de propostas para aperfeiçoar a gestão, entre em ação".

Marina lembrou também que o País está avançando em seu processo democrático. "Não estamos no céu perfeitamente democrático, estamos numa construção. Ser honesto e combater a corrupção depende de cada individuo", enfatizou.

Reforma agrária

Durante o evento, Marina defendeu a questão da reforma agrária. "Eu defendo a reforma agrária e vejo como processo de transformação num País onde tem 8,5 milhões de metros quadrados e tem espaço para todos", ressaltou a candidata.

"É impossível que a gente não tenha como aprender a partir da necessidade natural e cultural? Se a cultura é diversificada, por que a economia não pode ser diversificada? O Brasil é um País generoso que se integra na cultura e deve se integrar na economia e oportunidades para todos", refletiu a presidenciável.

Saúde

Em relação ao tema da saúde pública, Marina defendeu melhorias para o Sistema Único de Saúde (SUS) em pontos como recursos para saúde, atendimento básico de qualidade, promoção da saúde e bom processo de tratamento.

"Temos que ver as dificuldades como boa oportunidade de transformação, de oportunidade de novos caminhos", disse. "Somos um País que pagamos muitos impostos e esses impostos precisam ser qualificados", afirmou Marina, defendendo melhores investimentos na saúde.