Feira oferece orientações e exames gratuitos no Dia dos Pais

Lisiane Wandscheer, Agência Brasil

BRASÍLIA - A importância dos cuidados com a saúde é o tema da 1ª Feira de Saúde do Homem. Hoje (8), durante o dia inteiro, no Parque da Cidade, em Brasília, os brasilienses podem buscar orientações e fazer exames gratuitamente. O idoso Manoel Genuário Cabral Sobrinho, de 82 anos, aproveitou a ocasião para fazer uma avaliação.

Cabral é um exemplo para os mais jovens. Ele conta que desde os 50 anos procura o urologista uma vez ao ano. Há cerca de dois anos fez um exame e verificou que estava com câncer de próstata em estágio inicial, mas depois de um tratamento com radioterapia está curado.

É um exame chato, mas que a gente tem que fazer. Quem quiser viver mais precisa fazer o exame de próstata , afirmou.

As causas de morte variam conforme a faixa etária dos homens. Nos jovens, entre 20 e 30 anos, as causas externas como acidentes de trânsito, homicídios e suicídios são as maiores; a partir dos 40 anos são os problemas cardiovasculares, do aparelho respiratório e os tumores. O fumo é outro forte agravante dos problemas de saúde do homem - 20 mil morrem por ano em consequência de câncer de pulmão e próstata.

O coordenador da Política Nacional de Atenção Integrada à Saúde do Homem, do Ministério da Saúde, Baldur Schubert, disse que as políticas de saúde para os homens existem há um ano, enquanto para as mulheres vigoram há 40 anos. No dia 26 de agosto, a política de saúde masculina completa um ano.

Estatísticas mostram que os homens morrem oito anos antes das mulheres. Eles precisam ser educados desde cedo a se cuidar. É importante que as mulheres orientem seus maridos a se prevenir e a procurar auxílio médico , afirmou Schubert.

Jardão Barros, de 40 anos, pai de dois filhos, conta que só costuma procurar o médico quando está doente. Hoje, ele decidiu procurar informações na feira e fazer o exame de toque por insistência de sua mulher.

Eu só procuro o médico quando sinto dor. Aqui foi a minha mulher que disse para eu vir. A gente fica com vergonha. Eu fiz 40 anos e agora todo mundo brinca que vou ter que fazer exame de toque , comentou.

O urologista e presidente da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) - Regional Distrito Federal, Diogo Mendes, disse que a causa principal do maior número de óbitos entre os homens do que entre as mulheres é cultural.

O homem é criado para ser forte. A sociedade não aceita que um homem saudável vá ao médico para uma consulta de rotina, seus colegas não aceitam, seu chefe não aceita e quando chega ao serviço de saúde não há um atendimento focado no homem , destacou.

A SBU está promovendo uma caravana da saúde do homem que percorrerá 23 cidades. Foi adaptada uma carreta, onde são dadas orientações e feitos exames urológicos. Até o momento, a caravana já passou por 15 capitais e atendeu 7 mil homens.

Na feira, que vai até o fim da tarde, os homens podem buscar informações sobre tratamento de tabagismo, doenças sexualmente transmissíveis, reeducação alimentar, osteoporose, além de verificar a pressão arterial e fazer exames de glicemia, triglicerídios, colesterol e de toque. A atividade é uma parceria entre o Ministério da Saúde, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal e a Sociedade Brasileira de Urologia.