Em Alagoas, Collor arrecadou e gastou menos do que adversários

Portal Terra

DA REDAÇ O - A campanha do senador Fernando Collor (PTB) ao Governo de Alagoas foi a que menos arrecadou e gastou até agora entre os três principais postulantes ao Palácio República dos Palmares, sede do executivo estadual. Os dados da primeira prestação parcial de contas foram divulgados neste fim de semana pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Collor pretende gastar R$ 9 milhões. Usou R$ 87,5 mil e arrecadou R$ 720.990,00. A lista de maiores despesas tem materiais impressos, locação de imóveis e publicidade com carros de som.

O candidato à reeleição ao governo de Alagoas, Teotonio Vilela Filho (PSDB), gastou mais dinheiro na primeira prestação de contas parcial, declarada ao TSE. Dos R$ 30 milhões que pretende gastar, R$ 1,4 milhões foram pagos em programas de rádio, TV e vídeos. Vilela declarou ter recebido R$ 1,5 milhão. Os tucanos alagoanos tocam, de longe, a campanha mais cara do Estado.

O ex-governador Ronaldo Lessa (PDT), que teve o registro de candidatura negado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), incluído na lista dos "ficha suja", tem teto declarado de despesas em R$ 15 milhões, mas Lessa gastou R$ 1 milhão e arrecadou o mesmo valor. Carros de som e programas de TV e rádio estão entre os que mais consumiram dinheiro.

Candidato pelo PSOL, Mário Agra é o único que encarna a campanha "mil contra milhão". Ele pretende gastar R$ 300 mil e gastou R$ 2.010, mil vezes menos que a campanha dos tucanos. Os candidatos Tóny Cloves (PCB) e Jeferson Piones (PRTB) declararam que não gastaram nada.