Dilma acusa DEM de tentar acabar com o ProUni

Portal Terra

RIO - A candidata do PT à presidência da República, Dilma Rousseff, acusou o DEM (Democratas) de querer acabar com o ProUni (Programa Universidade para Todos) através de uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF). "Entraram no STF, um partido que sempre fez oposição (...) o DEM, querendo acabar com o ProUni", disse a candidata. Em outubro de 2004, o DEM e a Confederação Nacional dos Estabelecimentos de Ensino (Confenen) moveram uma ação direta de inconstitucionalidade contra a política do Prouni, que oferece bolsas de estudos em universidades privadas a estudantes de baixa renda.

A afirmação foi feita durante evento na Central Única das Favelas (Cufa), na Cidade de Deus, zona oeste do Rio de Janeiro, neste sábado (7). A ONG encabeçada pelo rapper MV Bill defende as cotas de cunho racial e tem promovido encontros com os presidenciáveis para que eles possam apresentar suas propostas à comunidade.

Dilma citou a primeira dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, como exemplo. "É um produto das cotas e hoje é uma advogada respeitável", afirmou a presidenciável, após acusar de "preconceito" quem se opôs ao programa. "Diziam que o ProUni iria nivelar por baixo o ensino universitário. (...) Acabou que o melhor aproveitamento é dos alunos que entraram pelo ProUni e, entre eles, dos afrodescendentes", disse.

A plateia da Cufa era formada por pessoas com camisetas estampadas pelo logotipo da Petrobras e da Lei de Incentivo à Cultura. A ONG recebeu R$ 11 milhões de recursos durante o governo Lula. O evento promovido pela Cufa para está em sua terceira edição. Dois outros presidenciáveis já foram à Cufa, Ivan Pinheiro (PCB) e José Maria Eymael (PSDC).