Deic: crescimento de assaltos a joalherias é "migração"

Thais Sabino, Portal Terra

S O PAULO - O delegado Jose Antônio do Nascimento, titular da delegacia de Repressão ao Roubo de Joias do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic), afirmou nesta segunda-feira que a quadrilha que assaltou duas joalherias no Santana Parque Shopping, no sábado, em São Paulo, não era especializada neste tipo de delito. Para ele, o aumento dos assaltos a estes estabelecimentos é resultado de uma "migração" dos ladrões de banco, lotéricas e supermercados.

"É igual aos sequestros de grandes empresários, que passou para empresários médios até os pequenos", afirmou Nascimento, ao comparar a atuação de quadrilhas não especializadas nos dois tipos de crime. Para ele, os shoppings viraram alvo dos criminosos também porque os seguranças destes locais não andam armados.

No sábado à noite, houve assaltos simultâneos às lojas JK Alianças e a Casa das Alianças. Na ação, houve tiroteio e dois vigilantes ficaram feridos, um deles em estado grave. A dupla foi encaminhada ao Hospital Estadual Mandaqui. O outro funcionário do shopping sofreu ferimentos leves por causa dos estilhaços da bala e já foi liberado.

Ontem, a assessoria de imprensa do shopping informou que um policial à paisana reagiu ao tiroteio. O delegado Nascimento afirmou que se trata de um policial militar reformado e que não há confirmação de que ele foi o autor do primeiro disparo no local. A polícia investiga ainda um disparo feito do lado de fora do shopping, antes dos roubos.

Nascimento disse ainda que as imagens das câmeras de segurança mostram cerca de 10 homens atuando dentro do shopping, mas o delegado estima que entre 12 e 14 pessoas tenham participado do crime. Nas gravações, os suspeitos, vestidos com calça jeans e blusa de moleton, circularam em frente às lojas, falaram ao celular e se fingiram de clientes. Conforme a polícia, toda a ação durou 10 minutos: sete de preparação e três dentro das lojas.

A polícia divulgou ainda os valores levados em cada loja. Na JK Alianças, foram R$ 1.150 em dinheiro e R$ 219.850 em joias. Na Casa das Alianças, foram R$ 30 mil em produtos. Para o delegado, o material deve ser derretido após a quadrilha repassá-lo ao receptador.

Desde janeiro até o último final de semana, foram 11 assaltos a joalherias dentro de shoppings na capital paulista, conforme o Deic. Nascimento, entretanto, acredita que este último assalto não tenha ligação com os demais roubos registrados.