Comissão pode ouvir servidora da Receita sobre suposto dossiê

Portal Terra

DA REDAÇ O - A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovou nesta quarta-feira (4) dois requerimentos relacionados a casos polêmicos envolvendo a Receita Federal e o governo. Um deles convida a analista tributária Antonia Aparecida Silva, suspeita de ter sido a responsável pela suposta violação dos dados do Imposto de Renda do vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge.

O outro requerimento cita Demetrius Felinto, que seria responsável pelo sistema de controle de acesso ao Palácio do Planalto e teria registro do suposto encontro entre a ex-secretária da Receita Lina Vieira e Dilma Rousseff, então ministra-chefe da Casa Civil.

Os dois estão convidados a prestar esclarecimentos sobre os episódios à comissão do Senado, em data ainda a ser definida. Os requerimentos foram apresentados pelo tucano Álvaro Dias (PR), que chegou a ser anunciado como candidato a vice na chapa de José Serra à presidência da República. A aprovação ocorreu de forma simbólica na sessão presidida por Demóstenes Torres (DEM-GO).

O caso envolvendo o vice-presidente do PSDB motivou a abertura de investigação na Receita Federal. Reportagem do jornal Folha de S.Paulo afirmou que os dados de Eduardo Jorge teriam sido incluídos em um dossiê montado por um grupo que atuou na pré-campanha da petista Dilma Rousseff à Presidência.

A história envolvendo Lina Vieira é mais antiga. A ex-secretária da Receita teria tido um encontro com Dilma em outubro do ano passado e, na reunião, a então ministra teria solicitado celeridade na investigação envolvendo a família do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Dilma nega ter pressionado pelo encerramento da investigação.

O assunto voltou a ser discutido a partir da divulgação de uma reportagem da revista Veja sobre a existência de imagens que confirmariam o encontro, informação atribuída a Demetrius. A informação à época do escândalo era que as imagens teriam sido apagadas.