Chefe da Polícia Científica de SP é acusado de fraude em concurso

Portal Terra

S O PAULO - Segundo informações da Corregedoria da Polícia Civil de São Paulo, houve fraude no concurso público para contratação de fotógrafos para o Instituto de Criminalística (IC) e as irregularidades tiveram participação do chefe da Polícia Científica, Celso Perioli.

Candidatos ligados a funcionários do IC foram aprovados irregularmente num concurso que teve 17,6 mil inscritos. O secretário da Segurança, Antonio Ferreira Pinto, anulou a segunda fase do concurso. Eles foram selecionados com altas notas entre os 128 aprovados, mesmo não respondendo a grande parte das questões da prova oral. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

Uma senha irregular guiava a fraude. Notas de "A" a "C" foram registradas clandestinamente durante uma entrevista secreta realizada minutos antes da prova oral. O "A+" era aprovação praticamente garantida. Cruzamento feito pela Corregedoria revelou que 75 concorrentes receberam nota "A+". Desses, 95% deles foram aprovados. A Corregedoria confirmou a existência de senhas nos testes de todos os 343 candidatos submetidos à entrevista, sendo 25% anotados por Perioli, que continua como chefe da Polícia Científica. Outros quatro policiais são citados como envolvidos no caso. O então diretor do IC, José Domingos Moreira das Eiras, é um deles. Ele perdeu o cargo. Caberá aos promotores o indiciamento de parte da banca.