Aulas recomeçam em escola do PR onde corpos foram achados

Joyce Carvalho, Portal Terra

CURITIBA - As aulas foram retomadas nesta quarta-feira no Colégio Estadual Vinícius de Moraes, na cidade de Campo Mourão, a 460 Km de Curitiba, na região oeste do Paraná, onde os corpos de duas estudantes foram encontrados. Pela manhã, houve uma manifestação na frente ao prédio para pedir justiça. O zelador da escola confessou os crimes.

Os alunos retornaram ao colégio porque a Polícia Civil suspendeu os trabalhos de buscas das ossadas. Os corpos das estudantes, uma de 17 e outra de 21 anos, foram queimados e as ossadas deixadas na horta da escola e no fosso da casa onde ele morava dentro das dependências.

Segundo a delegacia de Campo Mourão, um novo interrogatório será realizado com o zelador Raimundo Gregório da Silva, 52 anos, ainda nesta semana. A prisão preventiva de Silva será solicitada pela polícia por duplo homicídio qualificado. Ele está detido desde sexta-feira, quando a primeira ossada foi encontrada.

A polícia científica também colheu amostras de partes do colchão da cama do caseiro, onde havia sinais de sangue. Caso a presença do material for confirmada, será realizado exame de DNA.

Hoje, a Secretaria de Estado da Educação confirmou que o diretor do colégio foi afastado do cargo. O motivo não foi divulgado pelo órgão. A assessoria de imprensa da secretaria afirmou que haverá uma reunião na próxima segunda-feira com policiais da que investigam o caso. Especula-se que o pedido foi feito pela Polícia Civil, que deteve o diretor por porte ilegal de arma na semana passada, quando o caso do zelador chegou à imprensa.