AL reforça segurança de autoridades após plano do PCC

Portal Terra

ALAGOAS - A Secretaria da Defesa Social de Alagoas informou nesta segunda-feira que garantiu segurança pessoal para promotores e juízes que atuam no combate ao crime organizado no Estado. A medida foi adotada após a Polícia Federal (PF) obter informações sobre supostas ameaças de morte feitas por presos de Alagoas detidos na penitenciária federal de Catanduvas, no Paraná.

O plano, formulado pelo Primeiro Comando da Capital (PCC), foi descoberto pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), em conjunto com a PF. A facção pretendia matar dois juizes e dois promotores que combatem o crime organizado no Estado.

"Ao recebermos informações da Polícia Federal sobre diálogos entre presos de Alagoas com supostas ameaças, colocamos imediatamente segurança pessoal feita por policiais civis e militares a cada um dos juízes da 17ª Vara Criminal, e dos promotores do Gecoc (Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado)", afirmou o secretário Paulo Rubim.

O secretário disse ainda que foi aberta uma investigação por parte das polícias Civil e Federal, juntamente com a 17ª Vara Criminal e do Gecoc, para apurar as supostas ameaças de morte, que incluiriam ainda um desembargador do Tribunal de Justiça.

Segundo Rubim, é natural a revolta de presos que são transferidos para o Regime Disciplinar Diferenciado (RDD). A medida foi criada para punir com mais rigor presos que oferecem risco dentro das prisões, como praticar crime doloso, incentivar rebelião, colocar o sistema em perigo ou participar de sociedade com o crime organizado. O detento fica em celas individuais, com direito a banho de sol de, no máximo, duas horas e restrição a duas visitas por semana, também por duas horas. Em Alagoas, a maioria dos presos mandados para o Presídio Federal de Catanduvas foi por decisão dós órgãos colegiados.

De acordo com o presidente da Associação Alagoana dos Magistrados (Almagis), Maurílio Ferraz, os juízes continuarão exercendo suas atividades normalmente, já que foram designados para um mandato de dois anos à frente da 17ª Vara.