Tio de menor envolvido no caso Bruno: "tudo vai acabar na 1ª versão"

Portal Terra

RIO - O tio do menor J., suspeito de participar do sequestro de Eliza Samudio, acredita que as mudanças de depoimento do seu sobrinho e de Sérgio Rosa Sales, o Camelo, são manobras de advogados. "Tudo vai acabar na primeira história que contei. É tudo para tontear a opinião pública. Eles vão cair em contradição", afirmou.

Quando foi apreendido pela polícia, em 6 de julho, o menor relatou que a vítima foi levada ao ex-policial civil Marcos Aparecido dos Santos, conhecido como Bola, em Vespasiano, região metropolitana de Belo Horizonte. Bola teria estrangulado Eliza até a morte e esquartejado seu corpo. Ainda segundo o relato, o ex-policial teria jogado os restos mortais para rottweillers.

Sobre a tese da defesa do goleiro Bruno, de Macarrão e dos outros envolvidos, de que o menor teria sido coagido pela polícia para revelar detalhes como o da mão de Eliza ter sido jogada para os cachorros, o tio reforçou ao Terra que relatou tudo em uma entrevista de rádio antes de J. ser questionado pelas autoridades. "O que está valendo é o que ele falou primeiro. A primeira vez que ele veio falar comigo aqui em casa".

"A saída dos envolvidos é jogar tudo no menor. Até o pai e a mãe dele foram levados a acusar o garoto de tráfico. Ele pode até usar maconha, mas quem conhece o menino sabe que ele não é dessas coisas", disse o tio. Segundo ele, a família do menor teria feito as acusações por ser "sustentada" por Bruno. "A mãe do J. trabalha na casa da Dayanne (Rodrigues, mulher do goleiro) e o pagamento é feito pelo Bruno. O pai é parente do Bruno. Eles não querem comprometer a sua mordomia".

O tio contou que, quando o menor foi a sua casa pedir abrigo, revelou que em diversas conversas o amigo de Bruno, Macarrão, demonstrou agressividade contra Eliza. "Ele falou para o J. pouco tempo antes do crime: 'Vou acabar com essa mulher, eu vou matar ela'. Quando ele me contou, achei que seria uma discussão qualquer, mas depois tudo se confirmou".

Na entrevista, ele voltou a negar que Bruno tenha planejado a morte da ex-amante. "O grande problema do Bruno é ele ter chegado lá, visto aquela situação e não tirar a menina de lá, levar embora", disse. "O Bruno consentiu depois da coisa feita. O safado do Macarrão empurrou tudo na cabeça do garoto. Foi tudo maquinado por ele".

De acordo com o tio, J. afirmou que quando ele e Macarrão voltaram ao sítio, ele ouviu Bruno dizer: "Se vocês já fizeram essa bobagem, agora estou indo embora e vocês segurem a bronca".