Ariadne Coelho acusa presidente do PSL de 'vender' sua candidatura

JB Online

DA REDAÇÃO - Ex-candidata do PSL ao governo do Rio, Ariadne Coelho anunciou seu rompimento com o partido depois do que classificou como uma jogada sórdida do presidente do PSL, Antonio Manoel de Souza, que segundo ela, teria trocado sua candidatura majoritária por cargos no gabinete de um parlamentar de influência nma Alerj.

A seguir, a íntegra da carta

Senhor Antonio Manoel de Souza, venho através deste comunicado, lhe informar oficialmente que, devido aos atos de caráter antiético, realizados por parte desta Casa e sua Executiva Estadual, contra mim, no que tange a legenda como candidata ao Governo do Rio de Janeiro e ações de compromisso que acordei com a Executiva Estadual deste Partido, como: (a) investimentos com recursos financeiros pessoais; (b) fidelidade para com o compromisso assumido junto ao partido e demais candidatos; (c) e ao objetivo de candidatura e disputa legítima, a fim de realizar projetos em benefício dos cidadãos do Estado do Rio de Janeiro, integralmente desligo-me como membro correligionário deste partido, PSL, nao assumindo portanto qualquer vínculo ou promessa feita em meu nome, assim como igualmente não autorizarei, sob nenhuma forma, a utilização de meu nome, imagem, fotos, voz, video, material multimidia e/ou qualquer outra forma e/ou idéia vindoura, que seja sinergica e/ou remeta a lembrança de minha pessoa em caráter associativo, de parceria e/ou de preferência para com o partido supramencionado.

Ressalto, todavia, que meu intuito para com esta Casa e o relacionamento político com os demais membros, sempre foi o de agregar valores éticos, ensino e promoção de técnicas eficázes sobre gestão corporativa e disseminação da cidadania como principal agente transformador do futuro das familias que vivem no Estado do Rio de Janeiro, através da apresentação clara sobre direitos e deveres e geração de sensibilização para uma nova filosofia de vida, pautada em sentidos de responsabilidade social, entendimento dos valores morais básicos e compreensão sobre a presença e participação responsável no contexto político municipal, estadual e federal.

Desta forma, informo-lhe que nada mais tenho ou terei a falar com esta Casa e sua Executiva Estadual, que para mim, nesta atual gestão Estadual, denegriu a reputação e prestígio que o partido PSL detém no contexto nacional, não honrando com o que fora prometido e acertado entre mim e o PSL-RJ, uma vez que, de forma antiética e amadora, "negociou" minha legenda como candidata ao governo do Rio de Janeiro nas eleições de 2010, oferecendo-me em seguida a "oportunidade" de legenda como Senadora, o que por motivos de valores éticos pessoais e bom senso, não aceitarei e jamais o faria, pois se o fizera, me tornaria exatamente aquilo que repudio nesta atual gestão Estadual: um organismo "politiqueiro" mediocre, egoísta, inconsequente e amador, que executa "politicagens" vergonhosas, que são o ápice de ações que somente focam e beneficiam a si próprios, deixando comunidades e milhares de familias desamparadas e reféns de sua liderança fantasiosa e ilegítima.