Manifestantes liberam portão principal da USP

Portal Terra

SÃO PAULO - A entrada principal da USP (Universidade de São Paulo), que havia sido bloqueada na manhã desta quinta-feira por alunos e funcionários da instituição, foi liberada por volta das 10h. Cerca de 150 manifestantes - estudantes, em sua maioria - fecharam a entrada de carros e pedestres desde as 6h30 da manhã de hoje.

Em nota, a USP afirmou que mantém as propostas para o fim da greve, inclusive de pagar os dias parados, mas "em até quatro dias úteis" (anteriormente, a instituição marcou o pagamento para o dia 10, se a paralisação tivesse sido encerrada). Mas, segundo Aníbal, a proposta enviada nesta quarta-feira pelo reitor da USP é apenas uma reapresentação do mesmo documento encaminhado há duas semanas para o sindicato.

Ele considera o texto "uma chantagem", porque a proposta não diz respeito à isonomia salarial reivindicada por eles, mas trata apenas de "devolver o que foi tirado". Quanto à ocupação da reitoria da USP, o diretor do Sintusp afirma que assim que os dias cortados forem pagos os manifestantes desocuparão imediatamente a reitoria da Universidade. "Mas enquanto o Cruesp não se manifestar sobre a manutenção da isonomia salarial entre professores e funcionários a greve continuará", disse Aníbal. Há duas viaturas da Polícia Militar no local, mas o clima é pacifico, de acordo com o diretor do Sintusp.