BA: médicos ameaçam parar por causa de agressões de pacientes

Portal Terra

SALVADOR - A direção da Santa Casa de Misericórdia de São Félix, a 110 km de Salvador, ameaça suspender os atendimentos de urgência e emergência no Hospital Nossa Senhora da Pompéia durante os festejos juninos. Os médicos alegam que podem sofrer agressões físicas e verbais dos pacientes que exageram no consumo de drogas e álcool. Os médicos reclamam ainda da falta de segurança para os funcionários da unidade de saúde.

"O excesso de bebida e droga durante as festas contribui para o aumento da violência. Antes, era só verbal e agora é agressão física", explicou o diretor-médico da Santa Casa, Odilon Cunha Rocha.

Atualmente 14 médicos dão plantão no hospital da Santa Casa de São Félix. A unidade atende a pessoas do próprio município e dos vizinhos, a exemplo de Cachoeira, que realiza uma grande festa junina e atrai milhares de visitantes, Maragojipe, Cruz das Almas, Muritiba, Governador Mangabeira, Cabaceiras do Paraguaçu, entre ouras cidades. O hospital é o único da região que dispõe de uma unidade de terapia intensiva.

Nos dois últimos anos, foram realizados, no mesmo período, 200 atendimentos. Temendo que a violência cresça, a Santa Casa, segundo a direção, admite a possibilidade de manter funcionando somente os atendimentos de rotina nos dias da festa.

O Hospital da Santa Casa de Misericórdia possui nove leitos de Unidade de Terapia Intensiva e há uma semana não há vagas. É o único da microrregião com serviços de tomografia, ultrassonografia e endoscopia.