MG: para Anastasia vice deve ter densidade eleitoral e política

Juliana Prado, Portal Terra

BELO HORIZONTE - O governador Antonio Anastasia (PSDB) disse nesta quarta-feira (16), durante evento na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, que a escolha do vice na sua chapa à reeleição ficará a cargo dos partidos que formam a aliança. Ele garantiu que o escolhido passará por critérios de densidade eleitoral e política. "Serão os partidos, os líderes dos partidos, que vão identificar entre os nomes sugeridos, ou outros que possam surgir, o que tenha melhor condição de agregar à chapa", disse.

A dez dias da convenção estadual do PSDB, o assunto é levado em "banho-maria" pelos tucanos, principalmente por Anastasia. O governador, que tem trânsito limitado entre os partidos, pelo pouco tempo que tem no cargo - assumiu no lugar de Aécio Neves em março -, viu delegada aos tucanos a coordenação das negociações. Hoje, as maiores chances de ocupar a vice recaem sobre o presidente da Assembleia mineira, Alberto Pinto Coelho, do PP.

O secretário-geral do PSDB, deputado Lafayette Andrada, afirmou nesta quarta que o nome só será mesmo anunciado no dia da convenção, em 27 de junho. "Estamos concluindo as conversas com os partidos que vão ficar com o PSDB na aliança. A partir daí, a costura começa a ser feita", afirmou. Hoje, além do DEM e do PPS, os tucanos contam com a participação de várias siglas nanicas e dos recém-chegados PSB, PR e PRB. A definição sobre a inclusão do PDT ainda não está fechada. "Todos podem entrar no leque de opções. Tudo tem que ser costurado com calma", disse Andrada.

Se a escolha recair mesmo sobre o candidato Alberto Pinto Coelho, a movimentação pode desgastar a relação entre tucanos e o DEM. O partido pressiona há meses para ocupar a vaga. O principal cotado é o deputado federal Carlos Melles, que não esconde o desejo de ser o indicado ao posto de vice de Anastasia.