MG: aluno se recusa a tirar boné e agride diretora a tapas

Ney Rubens, Portal Terra

BELO HORIZONTE - A vice-diretora do Centro de Assistência Integral à Criança de Juiz de Fora (MG), Maria Cristina Gomes Barbosa de Lima, 42 anos, registrou queixa na Polícia Militar por ter sido agredida com pontapés e tapas no rosto por um aluno de 13 anos, na manhã desta quarta-feira.

Segundo a educadora, as agressões teriam começado porque ela teria solicitado que o estudante retirasse um boné que usava em sala de aula, o acessório é proibido de acordo com Lei Municipal nº11890 de 2009.

Maria Cristina diz que a PM foi acionada porque, além de agredi-la, o aluno a teria ameaçado de morte. "Fui até a sala da sexta série e pedi que ele tirasse o boné, que é proibido dentro daquele ambiente. Ele me ofendeu com palavras de baixo calão, mas insisti que respeitasse as regras. Depois, irritado, ele ameaçou quebrar meu carro e partiu para cima de mim, dando chutes e tapas no meu rosto", disse.

"Tive que chamar a Polícia Militar, pois senti que ele não estava falando só por falar. Ele gritava e apontava para mim dizendo que iria trazer uma faca e que iria colocar um '3 oitão' (revólver) na minha cabeça. Mas não é a primeira vez que ele faz ameaças. Ele sempre está envolvido em brigas dentro da instituição", afirmou.

A vice-diretora afirmou ainda que não é o primeiro caso de agressão contra funcionários da escola. "Casos como esse já aconteceram várias vezes. Já tivemos até um caso em que um aluno mordeu um funcionário. Mas como são menores de idade, eles dificilmente são punidos".

O Conselho Tutelar também foi acionado e o caso foi encaminhado para a Secretaria Municipal de Educação de Juiz de Fora que irá apurar junto a família do aluno e a escola o que aconteceu. A mãe do garoto foi procurada pela direção da escola, mas não foi encontrada.