Grevistas organizam "trancaço" na USP nesta quinta-feira

Portal Terra

SÃO PAULO - O ato em frente à reitoria da Unicamp promovido pelo Fórum das Seis, entidade que congrega representantes dos professores e funcionários da USP, Unesp e Unicamp, contou com 600 manifestantes.

Durante o protesto, os grevistas prometeram fazer nesta quinta-feira um "trancaço" na USP, fechando todos os acessos principais da Universidade.

Houve sinalização de reinício das negociações por parte da reitoria da USP que enviou uma nova proposta para os servidores. Os funcionários não adiantaram do que se trata, mas afirmam que vão avaliar o texto com calma.

Muitos seguranças estavam presentes no prédio da Unicamp e o helicóptero da Policia Militar que sobrevoava o local foi vaiado pelos grevistas.

Quanto à ocupação da reitoria da USP, Neli Wada, diretora do Sindicato dos Trabalhadores da USP (Sintusp), afirmou que se houver devolução dos dias não trabalhados descontados dos salários eles desocuparão o local.

A principal reivindicação dos grevistas continua sendo a volta das negociações e da isonomia salarial, que, segundo eles, foi quebrada quando somente os professores receberam aumento salarial de 6%.

Segundo o coordenador do Sindicato dos Trabalhadores da Unicamp (STU) João Reinaldo, conhecido como Kiko, cerca de 40% dos funcionários da Unicamp estão parados.

Um grupo de estudantes que apoiam a greve também discursou exigindo melhorias no ensino, e na infraestrutura das unidades, assim como mais cursos e vagas. Os manifestantes da USP e Unesp retornam ainda nesta quarta-feira para suas unidades.