TJ-SP mantém absolvição de acusados de extorquir padre

Portal Terra

SÃO PAULO - O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) negou o recurso do Ministério Público que pedia a reversão da decisão que absolveu os quatro acusados de extorquir o padre Júlio Lancelotti. Segundo a assessoria de imprensa do TJ-SP, a decisão foi tomada no dia 2 de junho, em votação unânime dos três desembargadores da 12ª Câmara Criminal.

O ex-interno da Fundação Estadual do Bem-Estar do Menor (Febem) - atual Fundação Casa - Anderson Batista, a mulher dele, Conceição Eletério, e os irmãos Evandro e Everson Guimarães foram absolvidos da acusação, que incluía ainda formação de quadrilha, em junho de 2008.

Apesar de os quatro terem sido absolvidos por falta de provas, os promotores designados para o caso, Fábio José Bueno e Luiz Antonio de Oliveira Nusdeo, sustentavam no recurso que há provas suficientes nos autos de que os acusados praticaram reiteradamente crime de extorsão contra o religioso. O processo tramita em segredo de Justiça.

O padre Júlio Lancellotti acusou o ex-interno da Febem de extorquir dinheiro dele. O religioso disse à polícia que repassou para Batista cerca de R$ 80 mil. A defesa do ex-interno afirma que Batista teria recebido do padre mais de R$ 600 mil durante oito anos e que eles mantinham relações sexuais.