Justiça penhora R$ 1,2 milhão em bens e aluguéis do Grupo OK

Portal Terra

BRASÍLIA - A Advocacia-Geral da União (AGU) conseguiu na Justiça penhorar os imóveis ocupados pelo Departamento de Polícia Federal e pelo Instituto Chico Mendes, em Brasília. A Justiça também determinou a penhora dos aluguéis de ambos os bens do grupo que totaliza uma soma superior a R$ 1,2 milhão.

A decisão judicial foi tomada na semana passada e atende a uma ação da Advocacia-Geral da União (AGU), que pediu as penhoras como parte da cobrança das verbas públicas que teriam sido desviadas da obra do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de São Paulo, no escândalo que envolveu o então senador Luiz Estevão, que, após o caso, teve o mandato cassado, e o ex-juiz Nicolau dos Santos Neto.

A ação está na 19ª Vara de Justiça do Distrito Federal. De acordo com a AGU, esta é a sétima penhora deferida pela Justiça do DF contra empresas apontadas como "de fachada" do Grupo OK. Segundo a AGU, a dívida do grupo gira em torno de R$ 1 bilhão.