Em estreia do Brasil na Copa, Serra ganha camisa do Flamengo

João Pequeno, Portal Terra

RIO DE JANEIRO - Candidato do PSDB à presidência da República, o ex-governador de São Paulo José Serra assistiu à estreia do Brasil na Copa do Mundo contra a Coreia do Norte, nesta terça-feira (15), acompanhado da presidenta do Flamengo, Patrícia Amorim, em uma churrascaria do Rio de Janeiro.

Durante o encontro, o tucano ganhou da ex-vereadora do Rio pelo PSDB duas camisas do time rubro negro. Uma tinha o nome de Serra e o número 45 nas costas, além das "cores tucanas" azul e amarelo. A origem da sua coloração, no entanto, não é partidária, mas do próprio hexacampeão brasileiro. Estas foram as primeiras cores que o Clube de Regatas Flamengo usou antes de adotar definitivamente o uniforme rubro negro. A outra camisa do Flamengo era vermelha e preta, como presente para o neto do candidato, Antônio, de sete anos, que torce pelo time carioca por influência do pai.

Ao chegar à churrascaria, Serra evitou dar palpite sobre o primeiro jogo da Seleção Brasileira no Mundial. "Se eu disser que vai ser 2 a 1 e for 4 a 1, vão dizer que sou pessimista. Então, vou esperar", afirmou ele, acrescentando que torceria por um gol de Luís Fabiano.

No intervalo da partida, diante do placar de 0 a 0, o tucano disse que não é comentarista, mas declarou que no lugar de Dunga, para furar a retranca "quase militar" da Coreia do Norte, "tiraria um marcador e colocaria um driblador. Talvez o Felipe Melo pelo Daniel Alves, mas não sou técnico".

A respeito de política, o ex-governador paulista não quis comentar se sancionaria o aumento de 7,7% para os aposentados, como fez o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, nesta terça.