Policiais baianos suspendem greve, mas mantêm reinvidicações

Portal Terra

SALVADOR - A Polícia Civil da Bahia retomou as atividades na manhã desta quarta-feira, depois de 21 dias de greve. De acordo com o secretário geral do Sindicato dos Policiais Civis do Estado da Bahia (Sindpoc), Bernardino Gayoso, apenas a Bahia permanecia em greve, enquanto os outros oito estados já haviam voltado às atividades.

Entretanto, ele garante que a polícia continuará com o indicativo de greve. "Estamos firmes na posição de retornar ao trabalho, assim como também estamos firmes para voltar à greve caso seja necessário", afirmou Gayoso.

Membros do sindicato tiveram uma reunião com o secretário de Segurança Pública, Cesar Nunes, nesta terça. A categoria levou as reivindicações estaduais ao secretário, que se comprometeu a encaminhá-las ao governador Jaques Wagner.

No âmbito estadual, a luta é pela mudança do regime de trabalho dos policiais civis da Bahia, pagamento da insalubridade, questões sobre desvio de função, paridade entre inativos (aposentados) e ativos, promoção e pagamento da gratificação GAPJ5.

Entre as reivindicações nacionais está a votação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 446/300, de 2009, no Congresso. A PEC prevê a unificação em todo o país de piso salarial para policiais civis, militares e bombeiros em R$ 3,5 mil, nível médio, e R$ 7 mil, nível superior. A PEC deve ser votada no Congresso Nacional na próxima terça-feira. Uma carreata sairá de Salvador para acompanhar a votação.