MG: escolha de Hélio Costa distancia PSB de aliança

Portal Terra

BELO HORIZONTE - A decisão de petistas e peemedebistas em Minas Gerais pelo nome de Hélio Costa (PMDB) como candidato a governador afastou ainda mais o PSB da coligação estadual. O partido já havia colocado que com o ex-prefeito Fernando Pimentel (PT) encabeçando a chapa as chances de união seriam maiores. Agora, tudo indica que os socialistas mineiros fecharão mesmo com o PSDB do governador Antonio Anastasia, que tenta a reeleição.

A direção estadual diz aguardar um comando do PSB nacional, que não condicionou os Estados a apoiarem apenas os partidos da base da ex-ministra Dilma Rousseff. Com isso, o caminho fica pavimentado em direção à chapa tucana em Minas. Como os socialistas estão fechados com Dilma, o Estado pode ter um exemplo formal de voto "Dilmasia" com o PSB apoiando, também, a candidatura Anastasia.

O deputado federal Júlio Delgado (PSB) diz que a tendência hoje é mesmo de aproximação com os tucanos. "Vou defender essa tese. Acho difícil ficarmos com o Hélio Costa depois desta sangria que fizeram na aliança PT/PMDB. Por que vamos entrar em bola dividida?", questiona, em alusão à crise que se estabeleceu até a escolha do candidato da aliança.

Já o PR, que participou de grande parte das negociações sobre a coligação estadual e também apoia a candidatura de Dilma, pode fechar com PT/PMDB ainda nesta quarta-feira (9). A hipótese mais forte agora é que o presidente da sigla em Minas, Clésio Andrade, seja escolhido suplente de Pimentel, que irá disputar o Senado.

Andrade foi protagonista do "último ato" petista na tentativa de emplacar a candidatura de Pimentel. No domingo (6), foi sugerido como candidato a vice do PT para a disputa ao governo de Minas. Agora, pretende cobrar fidelidade à "exposição" frustrada a que foi submetido.

Além do fechamento da coligação partidária, que influi no tempo de televisão no horário eleitoral e no peso das chapas proporcionais, o PT negocia o vice de Hélio Costa. O nome do ex-ministro Patrus Ananias - o preferido do PMDB - está colocado, mas há resistências do próprio petista. O presidente estadual do PMDB, deputado federal Antonio Andrade, diz que quem irá decidir pelo nome será o PT, com total liberdade para apontar.

Ele admite, no entanto, que outras possibilidades estão colocadas. Uma delas é a indicação do ex-secretário nacional de Direitos Humanos do governo Lula, Nilmário Miranda.