MG: preso PM suspeito de liderar grupo que teria matado 21

Ney Rubens, Portal Terra

BELO HORIZONTE - O policial militar Rodney Balbino Leonardi, 38 anos, conhecido como Robocop, foi preso na manhã desta terça-feira por policiais civis de Belo Horizonte. A mãe dele, Hilda Balbino Leonardi também foi presa. As prisões aconteceram na cidade de São José da Lapa, negião metropolitana da capital mineira.

Segundo a Polícia Civil, Robocop é suspeito de liderar uma quadrilha formada por policiais militares que seriam responsáveis pela morte de 21 pessoas nas cidades de São José da Lapa e Vespasiano, entre 2004 e 2009.

O militar já chegou a ser preso por determinação da Justiça de Vespasiano, em abril, mas ele foi solto após conseguir um habeas-corpus. Os mandados de prisão de Robocop e a mãe foram expedidos pela Justiça de Vespasiano por que eles estariam ameaçando e coagindo testemunhas.

Leonardi foi preso em uma clínica psiquiátria, onde foi internado após ter sido libertado há dois meses. Nesta terça-feira, antes de ser novamente levado para a cadeia, ele passou por exames clínicos por uma especialista da Polícia Militar, que reafirmou o diagnóstico dado pela clínica.

Já a mãe dele foi presa em casa, no Bairro Dom Pedro I, em São José da Lapa, onde os policiais encontraram uma garrucha calibre 36, uma pistola 380, um revólver 38, estojos deflagrados de vários calibres, munição, cerca de R$ 7 mil em dinheiro, além de dois rádios comunicadores, agenda e um computador. Hilda foi encaminhada para o Centro de Remanejamento de Presos São Cristovão em BH e o filho dela para um quartel da PM.

As vítimas da quadrilha supostamente liderada por Leonardi seriam todas usuárias ou traficantes de drogas que teriam feito dívidas com os policiais suspeitos de envolvimento no grupo de extermínio. O bando seria formado por oito agentes da PM. Gravações telefônicas em poder do Ministério Público anexadas ao processo ajudariam a comprovar a ação do grupo.