Grevistas da USP realizam ato

Portal Terra

SÃO PAULO - Os funcionários da Universidade de São Paulo (USP), em greve há 34 dias, realizam nesta terça-feira um novo ato em frente à reitoria da instituição. A manifestação, aprovada, em assembleia realizada na segunda-feira, tem o objetivo de pressionar o reitor a reabrir as negociações.

De acordo com Ivani Souza, assessora de Imprensa do Sindicato dos Trabalhadores da USP (Sintusp), os grevistas resolveram radicalizar o movimento porque outros funcionários tiveram os dias não trabalhados descontados e alguns nem chegaram a receber o salário. Segundo ela, o reitor da Universidade, João Grandino Rodas, está sendo "muito intransigente nas negociações" e por isso não há previsão para o término da greve.

Os servidores chegaram a discutir, ao fim da assembleia, a possibilidade de ocupação do prédio da reitoria da USP, fechado pelos grevistas desde o dia 25 de maio.

Os funcionários da USP, Unicamp e Unesp reivindicam aumento salarial de 16%, mais R$ 200, e a volta da isonomia salarial entre professores e funcionários que, segundo eles, foi quebrada quando o governo reajustou em 6% o salário dos docentes sem estender o aumento aos servidores.