PE: acusado falta ao 2º julgamento pela morte da ex-mulher

Portal Terra

PERNAMBUCO - Após não comparecer ao segundo julgamento, a Justiça de Pernambuco determinou que o comerciante José Ramos Lopes, acusado de matar a ex-mulher, Maristela Ferreira Just, seja realizado à revelia, nesta terça-feira. Ele também é acusado de e atirar contra os dois filhos e o ex-cunhado em 1989.

Seu advogado também não compareceu e a juíza determinou que defensores públicos presentes assumam a defesa. Lopes é acusado de homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe (vingança), sem chances de defesa à vitima, e tentativa de homicídio qualificado.

O primeiro julgamento deveria ocorrer em 13 de maio, no entanto, o júri popular foi suspenso porque o advogado não compareceu. A juíza Inês Maria de Albuquerque determinou que a Defensoria Pública assumisse a defesa de José Ramos Lopes Neto e multou o advogado Humberto Albino de Morais em 50 salários mínimos, cerca de R$ 25 mil

O caso

O crime aconteceu na casa dos pais de Maristela, em abril de 1989. O comerciante alvejou a ex-mulher e atirou ainda contra os dois filhos e o ex-cunhado. Ele foi preso em flagrante e passou cerca de um ano detido no Presídio Aníbal Bruno, mas foi liberado por meio de um habeas corpus.