Grupo de extermínio de PMs é suspeito de matar 23 em SP

Portal Terra

SÃO PAULO - A Polícia Civil investiga um grupo de extermínio formado supostamente por pelo menos cinco policiais militares do 21º Batalhão (Zona Leste de São Paulo), suspeito de ser o autor de 23 mortes e 17 tentativas de assassinato.

O suposto líder do grupo, o PM Valdez Goçalves dos Santos, 36 anos, está preso desde o dia 21 de maio. Valdez teve a prisão decretada por indícios de que teria matado o camelô Roberto Marcel Ramiro dos Santos. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

O PM teria ameaçado Santos e sua mãe de morte 19 dias antes do assassinato do camelô. Os crimes investigados pela Polícia Civil compreendem o período de 28 de março de 2009 a 8 de maio deste ano, dia da morte de Santos. As 23 mortes e 17 tentativas de homicídio aconteceram nas áreas de atuação de cinco delegacias da Zona Leste de São Paulo - Parque São Lucas, Vila Diva, Tatuapé, Vila Alpina e Vila Formosa. Na maior parte dos homicídios, as vítimas foram baleadas por homens encapuzados que as abordavam em motocicletas e em dupla.