Governo espionou críticos mesmo após fim da ditadura

Rubens Valente, da Folha de S. Paulo, JB Online

BRASÍLIA - Documentos liberados à Folha de S. Paulo pelo Arquivo Nacional, após 25 anos de sigilo, demonstram que o governo do atual presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), espionou os principais focos de críticas na sociedade civil.

As informações são da reportagem de Rubens Valente publicada na edição desta segunda-feira da Folha.

O governo interceptou cartas, infiltrou agentes e produziu listas de nome e endereços dos principais protagonistas da oposição.

Entre os investigados estão o PT, os sem-terra, sindicatos, grupelhos de esquerda e membros de entidades como OAB.