Brasil vai emprestar energia para a Argentina e o Uruguai

Sabrina Craide, Agência Brasil

BRASÍLIA - O Brasil vai enviar energia para a Argentina e o Uruguai para suprir a demanda dos países vizinhos durante o inverno. O empréstimo de energia ocorre pelo terceiro ano consecutivo. O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico decidiu hoje (31) que o Brasil poderá enviar 500 megawatts (MW) médios de energia entre maio e agosto, entre energia de usinas hidrelétricas e de térmicas que não estão sendo utilizadas.

A energia hidrelétrica que será enviada deverá ser devolvida entre os meses de setembro e novembro e a energia térmica deverá ser paga pelos dois países. O limite de envio de energia do Brasil para os dois países é de 2 mil MW.

De acordo com uma resolução publicada na semana passada no Diário Oficial da União, o suprimento de energia aos países vizinhos está condicionado ao não comprometimento da segurança energética do Sistema Interligado Nacional.

Na próxima sexta-feira, o ministro de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, vai assinar um acordo de cooperação com o ministro do Planejamento, Investimento Público e Serviços da Argentina, Julio de Vido, para acertar os detalhes do empréstimo de energia.

O comitê também autorizou Furnas a voltar a transmitir energia em sua capacidade normal, que é de 6 mil MW. Desde o blecaute de novembro do ano passado, a usina estava transmitindo 3 mil MW.

Segundo Zimmermann, as medidas de segurança que foram adotadas por Furnas como a blindagem de subestações e a melhoria na capacidade de isolamento na subestação de Itaberá (SP) garantem a segurança da transmissão de energia. Zimmermann voltou a afirmar que o apagão não foi causado por problemas de manutenção nas linhas de Furnas.