PT diz que sem poder confrontar Lula, oposição ataca vizinho

Portal Terra

SÃO PAULO - O líder do PT na Assembléia Legislativa de São Paulo, Rui Falcão, afirmou neste sábado que a impossibilidade da oposição de confrontar publicamente o governo Lula - devido aos seus altos índices de popularidade - faz com que o pré-candidato do PSDB, José Serra, passe a atacar os países vizinhos com os quais o presidente Lula tem boa relação.

"Não há como confrontar publicamente o governo Lula, mas atacam por trás, depreciando o nosso partido. Agora atacam também os nossos vizinhos. A Bolívia e o Mercosul", disse, se referindo a Serra.

Durante a pré-campanha, Serra defendeu mudanças no Mercosul e disse que o tráfico de drogas entre Bolívia e Brasil tem a conivência do governo vizinho.

Falcão disse ainda aos petistas que São Paulo sabotou as políticas do presidente Lula no Estado. "Isso vai ficar claro na campanha. Dilma ainda é menos conhecida do que o Serra, mas está crescendo. Quando o Brasil inteiro a conhecer, a tendência é de crescimento ainda maior", afirmou.

O deputado federal José Genoino (PT-SP), diz que é preciso jogar tudo nestas eleições para que o poder não mude de mãos. "O maior lulista não esperava que fizéssemos tudo o que fizemos pelo Brasil. Nós cumprimos a nossa tarefa e essa é a razão de ser do nosso partido. Lula é um estadista. Temos de ter a postura de não aceitar a derrota. Vamos jogar tudo nessas eleições".