Reação à quimioterapia provocou internação de Alencar, diz boletim

Portal Terra

SÃO PAULO - De acordo com o boletim médico divulgado pelo Hospital Sírio-Libanês, na noite desta sexta-feira, sobre o estado de saúde do vice-presidente da República, José Alencar, a anemia e o quadro congestivo pulmonar foram provocados pelo tratamento quimioterápico ao qual Alencar se submete na luta contra tumores no estômago.

Alencar deu entrada no hospital no final da noite de ontem, com "queixa de fadiga". Uma fonte ligada ao hospital afirmou que o empresário e político mineiro chegou a ficar quatro dias com falta de ar em Brasília antes de viajar a São Paulo.

De acordo com o boletim, o quadro de Alencar apresenta melhora após o tratamento. Segundo o hospital, exames também indicaram a redução no tamanho dos tumores.

Câncer

Alencar descobriu que tinha câncer em 1997, quando após um check-up foi encontrado um tumor no rim direito e outro no estômago, retirados naquele mesmo ano. Em 2000, uma nova cirurgia retirou um tumor na próstata. Depois da retirada de outros nódulos, agora no abdome, Alencar foi diagnosticado com câncer no intestino.

Em janeiro de 2009, ele enfrentou cerca de 17 horas de operação para a retirada de nove tumores na região abdominal. Na mesma cirurgia, os médicos retiraram parte do intestino delgado, outra do intestino grosso e uma porção do ureter, canal que liga o rim à bexiga. Alencar chegou a ficar internado 22 dias após a operação.