Justiça rejeita punir Suzane por uso do Twitter e Orkut

Portal Terra

SÃO PAULO - O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo rejeitou nessa quinta-feira o pedido do Ministério Público de punição para Suzane Von Richthofen pelo suposto uso de perfis em sites de relacionamento e no microblog Twitter. De acordo com a defesa, a acusação foi inventada e nada foi comprovado.

Suzane foi condenada a 39 anos de prisão juntamente com os irmãos Cristian e Daniel Cravinhos pelo assassinato de seus pais, ocorrido em outubro de 2002. Daniel, que namorava Suzane, e seu irmão confessaram que mataram o casal com golpes de barra de ferro. O crime foi planejado pela jovem.

O MP de Taubaté protocolou um pedido de investigação para apurar a existência de um perfil no Twitter e outros dois no Orkut que teriam sido criados por Suzane, presa na penitenciária feminina Santa Maria Eufrásia Pelletier, em Tremembé, interior paulista.

Após cumprir um sexto da pena a que foi condenada, a defesa de Suzane entrou com um pedido de progressão para regime semiaberto. A análise do pedido de progressão chegou a ser suspensa em agosto de 2009, depois que o MP abriu investigação. No entanto, o processo prosseguiu e ainda aguarda apreciação.

O advogado de Suzane, Denivaldo Barni Júnior, disse que a acusação do MP não tinha relação e que não poderia impedir a obtenção da progressão para regime semiaberto. "Isso foi uma aventura, nada foi comprovado e vamos aguardar a publicação do acórdão", disse.