Ficha Limpa: Parlamento deve funcionar sob pressão, diz OAB

Portal Terra

BRASÍLIA - A Ordem dos Advogados do Brasil comemorou a aprovação do projeto Ficha Limpa, que impede políticos condenados na Justiça de concorrerem a cargos eletivos, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado nesta quarta-feira. Ao comentar a aprovação, o presidente da entidade, Ophir Cavalcante, disse que o parlamento deve funcionar sob pressão da sociedade. Foi aprovado ainda o pedido de urgência para a matéria, que deve ser submetida ao plenário na tarde de hoje.

"O Parlamento deve funcionar sempre assim, sob pressão da sociedade. É importante que o Congresso seja a caixa de ressonância da sociedade e que os parlamentares tenham a satisfação de receber as pressões da sociedade e serem sensíveis a elas", disse Ophir, que também afirmou que o projeto foi construído e votado a partir de uma pressão popular claramente legítima.

Ophir acompanhou a votação do projeto ao lado dos senadores Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) e Demóstenes Torres (DEM-GO), relator do projeto na CCJ. "A sociedade deu o seu recado: o Brasil não aguenta mais tanta impunidade e corrupção. A cidadania faz valer a sua vontade, de um Brasil ético, feito por políticos compromissados com as causas republicanas", afirmou.

Para o presidente da entidade, o projeto necessita de modificações em alguns artigos - que poderão ser feitas por meio de emendas -, mas o importante é aprovar o texto base, para que a medida possa valer nas eleições de 2010. "Há correções a serem feitas, entretanto, nada que prejudique a essência do projeto", afirmou.