"Beira-Mar do PR" tinha Ferrari e levava vida de ostentação

Joyce Carvalho, Portal Terra

CURITIBA - O suspeito de tráfico Éder de Souza Conde, 35 anos, conhecido como Beira-Mar do Paraná, preso nesta terça-feira na Operação Ressaca da Polícia Federal em Curitiba (PR), levava uma vida de ostentação. Com ele foram apreendidos carros de luxo, entre eles BMW, Porsche e uma Ferrari recém adquirida por R$ 250 mil. Ele morava em uma mansão em um dos condomínios mais luxuosos na Região Metropolitana de Curitiba. Também está presa a segunda colocada no concurso Miss Curitiba 2010, Suzimara Steff, que é a namorada de Conde.

Além de Conde e Steff, foram presas outras nove pessoas, entre elas familiares, dois fornecedores em Ponta Porã e duas "mulas" em Guaíra (região oeste do Paraná). Suzimara Steff, segundo Mesquita, conheceu Conde e se deixou envolver pelo modo de vida que o suposto traficante levava, até participar de atos específicos comprovados de tráfico de drogas.

Segundo o delgado Wagner Mesquita, coordenador da operação, o grupo não tinha a menor preocupação em esconder a quantidade de dinheiro que movimentava. Conde era conhecido na noite curitibana. Ele tinha camarotes nas principais casas noturnas da cidade. Pretendia galgar posições no esquema do tráfico, com o objetivo de se tornar um distribuidor de cocaína em Ponta Porã, no Matro Grosso Sul. Atualmente, ele comprava a droga de distribuidores na cidade e trazia cerca de 100 kg de cocaína a cada três meses para o Paraná.

A quadrilha mantinha empresas, entre elas um auto guincho, mas sem qualquer movimentação de atividade. Conde também fornecia dinheiro para a compra de veículos em uma loja de automóveis de Curitiba. Eles estavam em nome de terceiros. "Era uma lavagem de dinheiro descarada", disse Mesquita. Foram apreendidos 40 veículos nesta operação.

Éder de Souza Conde é conhecido na capital paranaense. Ele teria participação no assassinato de um major da Polícia Militar, em 2005, e da suposta traficante Evinha do Pó, em 2002, considerada a chefe do comércio de cocaína em Curitiba. Conde também prestou depoimento na CPI estadual do Narcotráfico e chegou a ser preso na Operação Tentáculos, também da PF.

No último dia 11, a polícia apreendeu 38 kg de cocaína de um carregamento que Conde havia adquirido. O lucro seria de R$ 500 mil mensais. Os bens do traficante foram avaliados pela PF em R$ 10 milhões. Os presos estão sendo ouvidos e depois serão encaminhados para o presídio federal de Catanduvas, no interior do Paraná.