Caixa de Pandora: CNMP vai investigar procurador-geral do DF

Luiz Orlando Carneiro, Jornal do Brasil

BRASÍLIA - O Conselho Nacional do Ministério Público decidiu nesta terça-feira, por unanimidade, avocar a si as investigações em curso na Corregedoria-Geral do MP do Distrito Federal que apuram o suposto envolvimento do procurador-geral do DF, Leonardo Bandarra, no esquema de corrupção desbaratado pela Operação Caixa de Pandora.

Durval Barbosa ex-secretário de Relações Institucionais do governador cassado José Roberto Arruda e principal delator do esquema acusou Bandarra de ter recebido mais de R$ 1,5 milhão para não atrapalhar a renovação de contratos firmados sem licitação com o GDF, sobretudo os de coleta de lixo. A promotora Deborah Guerner é também investigada no mesmo processo administrativo.

O pedido de avocação das investigações para o CNMP o órgão de controle externo do Ministério Público foi feito pelo conselheiro Bruno Dantas, sob a alegação de morosidade da Corregedoria-Geral do MPDFT e também sob o argumento de que o MP da capital federal não teria condições para promover as investigações de forma isenta.

No voto apresentado nesta terça-feira à tarde na sessão plenária do CNMP, o relator do processo, Maurício Albuquerque, rejeitou o argumento da morosidade, mas acolheu o de que o MPDFT, por falta de sintonia de seus membros no contexto atual , não teria condições de concluir a sindicância.

Parto do princípio de que a difusão de fatos extraordinariamente danosos à imagem do Ministério Público do Distrito Federal, mesmo que materializados em meio midiático, está a justificar o exame da matéria em ambiente mais imune a opiniões desairosas da imprensa e da sociedade afirmou o conselheiro Albuquerque, ressaltando o fato de que o CNMP é desfiliado de tendências, por ser constituído de representantes de variadas instituições .

Na parte da manhã, o plenário do CNMP manteve a liminar concedida pelo conselheiro Almino Afonso, que suspendeu a decisão do Conselho Superior do MPDFT e garantiu a duas procuradoras de Justiça acesso aos feitos relacionados a contratos de prestação de serviço de limpeza pública no Distrito Federal.