Serra diz que BC não é a Santa Sé

Jornal do Brasil

SÃO PAULO - O pré-candidato tucano à Presidência, José Serra, que se definiu segunda-feira como sendo um político de esquerda durante entrevista concedida de manhã à rádio CBN, afirmou também que o Banco Central (BC) não é a Santa Sé , após ser questionado se, caso eleito, interferiria na instituição. Sobre o tema, Serra disse que se houver erros calamitosos na instituição (...) o presidente tem que fazer sentir sua posição . A pergunta ocorreu porque, mais cedo, Serra havia feito críticas ao BC por este não ter baixado mais as taxas de juros em momentos que ele julgou favoráveis durante a crise econômica mundial.

A respeito das privatizações, Serra voltou afirmar que defende um estado forte, não obeso, mas musculoso, no sentido de ter capacidade para ativar nosso desenvolvimento e a justiça social .

Mercosul

O tucano também fez comentários sobre o Mercosul, defendendo uma reforma no bloco e citando problemas enfrentados recentemente no comércio entre Brasil e Argentina.

Eu acho que o Mercosul tem que ser reformado. Foram fixadas metas muito ambiciosas, queimando etapas afirmou. Acho importante salvar o Mercosul. Você tem que dar dois passos atrás, para dar um adiante.

Ainda sobre o tema, Serra chegou a chamar de espetáculo as reuniões entre os presidentes do bloco sul-americano, dizendo que elas não trouxeram qualquer avanço concreto.

Serra também criticou o sistema previdenciário do governo Lula, dizendo que, em oito anos, nada foi feito para melhorar, e por isso o sistema tem déficit . Mas afirmou que vai respeitar um possível veto de Lula à proposta de aumento de 7,7% para os aposentados, decisão aprovada recentemente na Câmara e que será analisada pelo Senado.

Centrais sindicais

Em outro ponto da entrevista, indagado sobre como seria seu relacionamento com as centrais sindicais, Serra disse não temer o fato de o PT ser apoiado pelas duas maiores instituições do setor, e que vai buscar dialogar. Sobre a recente greve de professores em São Paulo, ele afirmou que o fato foi algo partidário e não sindical .

O tucano também comentou a entrevista do presidente Luiz Inácio Lula da Silva publicada domingo no jornal espanhol El País, na qual Lula afirma não ter dúvidas de que o PT venceria as próximas eleições. No caso, Serra preferiu destacar outro trecho no qual Lula diz que os rumos do Brasil não serão alterados, seja quem for o vencedor.

É uma afirmação importante, porque há um certo jogo, quase um terrorismo, de se dizer que se não ganha a candidata do Lula, vai ter problemas afirmou José Serra.