Serra aceitou gente de esquerda no governo de SP, diz Guerra

Marcela Rocha, Portal Terra

BRASÍLIA - No mesmo dia em que o pré-candidato do PSDB à presidência da República, José Serra, disse ser um político de esquerda, o presidente de seu partido e coordenador de sua campanha, senador Sérgio Guerra (PE) disse que no governo de São Paulo, comandado por Serra até março, "deve ter gente do PT, gente de esquerda...". Ao perceber as consequências de seu comentário, após a fala de Serra à uma emissora de rádio, o pernambucano tentou consertar: "da esquerda não, porque nós também somos. Deve ter gente de todas as áreas". A plateia não segurou os risos.

Em debate no jornal O Estado de S. Paulo com o presidente do PT, José Eduardo Dutra, o senador criticou, sem nominar o PT, o "aparelhamento do Estado". Disse também que isto não é uma prática do PSDB e que a máquina estatal não pode ser dividida entre membros do partido. "É assim que nós trabalhamos, nenhum preconceito", acrescentou.

Na manhã desta segunda-feira (10), o pré-candidato do PSDB concedeu uma entrevista à Rádio CBN. Questionado sobre seu direcionamento político pelo jornalista Heródoto Barbeiro, Serra respondeu ser de esquerda, com uma ressalva: "não é uma categoria que hoje em dia eu uso, mas do ponto de vista convencional, sim". Para explicar, Serra disse: "no sentido que eu defendo um projeto de desenvolvimento nacional para o País, que eu defendo o Estado com um governo forte, não obeso, mas musculoso".