Lula recebe prêmio pelo combate à fome

Jornal do Brasil

BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu segunda-feira o prêmio Campeão do Mundo na Batalha Contra a Fome, concedido pelo Programa Alimentar Mundial (PAM), vinculado a Organiza,ao das Nações Unidas (ONU). A escolha de Lula se deu, segundo a ONU, por seus esforços realizados no combate à fome. A entrega ocorreu durante a cerimônia de abertura do Diálogo Brasil-África sobre Segurança Alimentar, Combate à Fome e Desenvolvimento Rural, no Itamaraty.

Para os integrantes a ONU, o brasileiro desempenha um trabalho ativo nos esforços e na execução de programas internos e apoio às ações externas, em outros países, no combate à fome. Um dos destaques foi a atuação brasileira na cooperação com o Haiti devastado depois do terremoto de 12 de janeiro.

Antes de conceder o prêmio a Lula, a diretora executiva do PAM, Josette Sheeran, afirmou que o presidente tem usado sua liderança no cenário internacional para estimular políticas de combate à fome.

O Brasil tem mostrado para o mundo boas ações para acabar com a fome e a desnutrição disse Josette.

Ela destacou o programa Bolsa Família, ao ressaltar como positivas as condicionalidades do programa, como a necessidade de manter as crianças na escola. A diretora executiva do PAM informou que conheceu de perto a aplicação das ações brasileiras ao visitar lugares onde se aplicam os programas da estratégia do Fome Zero.

O diretor-geral da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), Jacques Diouf, também elogiou o Fome Zero. Segundo ele, o programa deve ser exportado para os países africanos com o objetivo de garantir a segurança alimentar e a qualidade de vida para quem vive nesses países. De acordo com Diouf, a FAO garante os financiamentos e a tecnologia necessários para a execução dos projetos.

A intenção de executar versões do Fome Zero é importante para o desenvolvimento e levar adiante a experiência e a tecnologia desse programa para avançar nos projetos de segurança alimentar disse Diouf.

Nova universidade

Na ocasião, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que até o final do ano a Universidade Luso-Afro-Brasileira (Unilab), cuja sede será na cidade de Redenção, no Ceará, começa a ser construída. Segundo Lula, paralelamente, está em fase de conclusão no Ministério da Defesa um estudo para a ampliação de voos do Brasil para países africanos. Segundo ele, esse aumento é fundamental para garantir a troca de experiências com a facilidade necessária.

Se não tiver voos para garantir o direito de ir e vir, a gente não vai conseguir o desenvolvimento que queremos afirmou o presidente.

Lula comemorou a aprovação do projeto que cria a Unilab pelo Congresso. De acordo com o presidente, a universidade terá capacidade para 10 mil alunos.