AL: Lessa inicia pré-campanha; Collor deve quebrar silêncio

Portal Terra

DA REDAÇÃO - Depois do rompimento oficial com o senador Fernando Collor (PTB-AL), o ex-governador de Alagoas Ronaldo Lessa (PDT) inicia, nesta segunda-feira, dia 10, a pré-campanha ao governo do Estado. A visita do ministro do Trabalho e presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, inicialmente programada para esta semana, foi adiada para o dia 24 de maio. Na ocasião, Lupi anunciará o apoio do Palácio do Planalto a Lessa.

- Nesta terça-feira, terei encontro com o presidente Lula, para discutir o quadro local - disse o ex-governador. Na pauta do encontro com o presidente da República, Lessa pedirá a Lula que faça Collor desistir da disputa à chefia do Executivo.

Enquanto os pedetistas percorrem o Estado, Collor deve quebrar o silêncio de uma semana nesta segunda-feira, dia 10, em uma entrevista ao radialista França Moura, da Rádio Jornal, um dos programas de maior audiência em Alagoas. Ele falará de Brasília, por telefone.

- O momento é de conversar, conversar, conversar, isso até a data das convenções. Os dois conversaram e foi um encontro entre pessoas civilizadas. Os dois mantêm a candidatura ao governo, mas no segundo turno estarão juntos contra o governador atual, Teotonio Vilela Filho (PSDB) - disse o deputado federal Augusto Farias (PTB-AL), um dos 'colloridos' mais próximos do senador. Farias confirmou ao Terra a candidatura de Collor ao governo.

Em caso de embate nas urnas, Collor e Lessa repetirão uma disputa que se arrasta desde 1986, quando Lessa era candidato ao governo, mas acabou derrotado por Collor que, três anos depois, disputou e ganhou a Presidência da República. Em 2002, os dois voltaram a se enfrentar: Lessa era candidato à reeleição ao governo e Collor estava sem mandato. Lessa venceu a disputa.

Em 2006, o ex-presidente da República lançou-se ao Senado e venceu o então governador Lessa, que está sem mandato. "Collor é candidatíssimo ao governo", disse a suplente de senadora e prima de Collor, Ada Mello. Ela deve ser candidata à Câmara Federal, apoiada por Collor.

- Não sei minha posição na eleição, mas sei que estarei com ele - avisa. Ada Mello tem livre trânsito no eleitorado católico mais conservador do Estado alagoano.