RJ: site tenta dar "presença digital" a Sérgio Cabral

João Pequeno, Portal Terra

RIO - Sem grande atuação na internet, o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB) tenta preencher esta hiato a menos de dois meses de confirmar sua candidatura à reeleição, colocando seu primeiro site no ar (www.sergiocabral.com.br). Elaborado pela produtora multimídia Cara de Cão, o portal tentará mostrar um perfil menos oficial do governador, dando-lhe finalmente uma "presença digital", como define seu webdeveloper, Luiz Villar.

"A ideia é antecipar essa presença da pessoa, mais do que o governador", explica Villar, ponderando que Cabral usa o site para dar opiniões pessoais em relação ao que classificou como seu "projeto de estado".

Uma das seções do site, o blog escrito por Cabral, no entanto, é uma sucessão de elogios ao próprio governo. Sobre as UPPs (Unidades de Polícia Pacificadores), ele escreveu na última terça-feira (4): "estamos limpando o tráfico das comunidades e levando cidadania e dignidade para milhares de pessoas que não podiam sequer ter o direito de ir e vir de suas comunidades (...) Não tem preço a gente ver no semblante de cada um desses moradores - crianças, adultos e idosos - a alegria de viver em paz. Sem o fantasma da troca de tiros, das balas perdidas, do risco iminente de perder um familiar".

No sábado passado (1), o governador classificou o Rio como ¿referência¿ em matéria fiscal. "O Estado do Rio de Janeiro, graças ao equilíbrio de suas contas públicas, pode agora obter mais de R$ 5 bilhões de crédito para investir em obras, saúde, segurança, educação e todas as necessidades básicas do estado", afirmou.

Dos três textos postados até agora no blog, somente o que fala das UPPs recebeu um comentário. Outra seção, denominada "Acontece", também se baseia em notícias elogiosas ao seu governo.

Para não correr o risco de um processo por propaganda eleitoral irregular ou antecipada, a produtora consultou o departamento jurídico do PMDB antes de colocá-lo no ar.

O conteúdo, organizado pela jornalista Teresa Karabtchevsky, ainda mostra uma breve biografia de Cabral, um espaço para cadastro de contato, a notícia de que, em 30 de março, o Rio ganhou grau de investimento da agência de risco Standard and Poor's e diversas referências culturais, dele próprio e de seu pai, o jornalista Sérgio Cabral - especializado em música brasileira, principalmente samba. Vale lembrar que, no início da carreira política, o atual governador do Rio usava o sobrenome Filho ao final de seu nome para diferenciar-se do pai, na época, ainda mais conhecido que ele.

Parte deste conteúdo cultural foi posto no ícone Galeria, em vídeos com depoimentos de Cabral (pai) e do sambista Nelson Sargento. A outra parte, fica na seção Dica Cultural, em que o governador recomenda discos, como "A Tábua de Esmeraldas", de Jorge Ben, a trilha sonora da biografia cinematográfica de Wilson Simonal, "Ninguém Sabe o Duro Que Eu Dei", coletâneas de Cartola e do U2, e o DVD do filme "Touro Indomável", com Robert de Niro.

"Ele mesmo pediu para pôr uma área de cultural, que pretende ampliar, porque sempre teve essa ligação, desde o pai", conta Villar, que até este domingo (9) ainda trabalhava com a equipe, composta por cerca de 15 pessoas, para tentar resolver alguns problemas técnicos. A barra de rolagem da biografia, por exemplo, não funcionava corretamente e quem tentava conferi-la só conseguia ver uma referência por década.

"Pretendemos ficar com ele 100% na segunda-feira (10)", diz Villar, que ainda incluiu no site atalhos para os perfis verdadeiros de Cabral no Orkut, no Twitter e no Facebook. "Ele até já havia pensado em entrar antes, mas havia tantos perfis falsos que tinha desistido para não confundir mais", explica o webdeveloper.

Gabeira e Cesar têm experiência na web

Ao contrário de Cabral, seu provável adversário na corrida pelo governo, Fernando Gabeira (PV), e o ex-prefeito do Rio, Cesar Maia (DEM), pré-candidato ao Senado, são velhos "políticos digitais". Com 33 mil seguidores no Twitter, Gabeira usa a rede desde seus primórdios, em 1994, e, desde 2000, mantém seu site oficial no ar.

Criticado em seu último mandato por ficar tempo demais na web, supostamente ao invés de governar "in loco", Cesar Maia foi o primeiro político de expressão a publicar um blog de comentários políticos, hoje transformado em um boletim - chamado pelo curioso nome de "ex-blog" - distribuído a mais de 35 mil internautas.