Ex-governador Arruda depõe sobre violação do painel do Senado

Portal Terra

BRASÍLIA - O ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda prestou depoimento nesta quinta-feira no processo pela violação do painel do Senado, ocorrida em 2000. Durante a oitiva, o governador cassado foi questionado sobre os danos à imagem do Senado com o episódio e disse que esconder os votos é pior. "O verdadeiro dano é tirar o direito dos eleitores de saberem qual o voto dos representantes"¸disse.

O episódio da violação do painel ocorreu quando Arruda era líder do PSDB, na votação do processo de cassação do também senador Luiz Estevão. Em 2001, Arruda renunciou ao cargo para não ser cassado.

No depoimento desta quinta, o ex-governador afirmou ainda que recebeu o envelope com os votos da ex-diretora do órgão de processamento de dados do governo federal Regina Célia Borges. Arruda foi ouvido na 20ª Vara Federal de Brasília.

Arruda já havia adiado o depoimento anteriormente, quando tinha prerrogativa de governador e poderia ser ouvido no local que escolhesse. Um dos adiamentos ocorreu por conta da prisão do governador cassado, que passou dois meses em uma sala da Polícia Federal.

A prisão preventiva foi decretada pelo Superior Tribunal de Justiça sob a acusação de corrupção de testemunha no processo que investiga suposto esquema de pagamento de propina no governo do DF. A prisão foi revogada pelo STJ no dia 12 de abril. Como Arruda perdeu a prerrogativa de governador, o depoimento pôde ser marcado.