Polícia civil da Bahia faz paralisação por salário padrão

Portal Terra

SALVADOR - A polícia civil da Bahia interrompeu as atividades na manhã desta sexta-feira. A paralisação será mantida por 24 horas e segue o movimento de Paralisação Nacional dos Policiais Civis.

A categoria reivindica a aprovação do Projeto de Emenda Constitucional - PEC 446/300-2009, que tramita na Câmara Federal e tenta estabelecer um piso salarial padrão para policiais civis, militares e bombeiros.

Segundo informações do Sindicato dos Policiais Civis do Estado da Bahia (Sindpoc), durante a greve, apenas os serviços de flagrantes e remoção de corpos de vítimas de morte violenta funcionam.

Além dos policiais civis, dezessete municípios baianos aderiram à greve nacional dos trabalhadores da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE). O protesto é contra a quebra de acordos por parte do governo, sobre a implantação do Plano de Carreira Específico da Categoria e a reestruturação do órgão.

Os trabalhadores lutam também para impedir a aprovação do Projeto de Lei 549/09, que propõe congelamento de salários e investimentos no setor público pelos próximos dez anos.

Com a greve, apenas as atividades de fiscalização continuam funcionando, porém, de modo precário. Estão suspensos os serviços de emissão de Carteira de Trabalho, as reclamações trabalhistas e as homologações de demissões, registro profissional, seguro-desemprego e abono salarial.