Justiça pedirá quebra de sigilos do caso Alstom no exterior

Portal Terra

SÃO PAULO - O Ministério da Justiça deve encaminhar nos próximos dias à Suíça e à França pedidos de quebra do sigilo bancário de 19 pessoas e empresas suspeitas de receber propina da Alstom para que a empresa francesa fosse declarada vencedora de concorrências do governo de São Paulo.

Entre os citados no pedido estão o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE) Robson Marinho e o engenheiro Jorge Fagali Neto, irmão do presidente do Metrô. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

A multinacional produz trens, metrôs e equipamentos para usinas elétricas. Ela é investigada por suspeita de ter pago propina para ganhar contratos com o Metrô e a Eletropaulo, estatal privatizada em 1999. Inicialmente, a investigação estava baseada em contratos entre 1998 e 2003, assinados durante os governos de Mário Covas e de Geraldo Alckmin, ambos do PSDB. Depois que o governo suíço enviou novos documentos, os investigadores brasileiros decidiram estender o período até o ano passado, já na gestão do ex-governador tucano José Serra.