MG: acusado de estuprar e matar 5 mulheres vai a júri popular

Portal Terra

BELO HORIZONTE - O juiz Christian Gomes Lima, do 1º Tribunal do Júri de Belo Horizonte (MG), aceitou nesta terça-feira a denúncia contra Marcos Antunes Trigueiro, conhecido como Maníaco de Contagem, acusado de estuprar e matar A.C.M.A., em abril de 2009, no bairro Alto dos Pinheiros, região noroeste da Capital. Com a decisão, Trigueiro será levado a júri popular. Em fevereiro, ele confessou à polícia que estuprou e matou cinco mulheres na região metropolitana de Belo Horizonte.

Segundo a Justiça, Trigueiro foi pronunciado por homicídio qualificado (motivo torpe, por asfixia, com recurso que dificultou a defesa da vítima e para assegurar a execução, a ocultação, a impunidade ou vantagem de outro crime); por obrigar mulher à conjunção carnal, mediante violência ou grave ameaça; por furto e por expor a vida ou a saúde de outra pessoa a perigo direto e iminente.

Hoje, o juiz ouviu testemunhas de denúncia e defesa, além de Trigueiro. Ele disse que não tinha a intenção de matar a mulher e que prestou depoimento na delegacia sob pressão.

O irmão da vítima, em seu depoimento, disse que sua irmã tinha uma loja de roupas e que mulher de Trigueiro era sua cliente. Ele afirmou que a família não suspeitava de ninguém, pois não havia justificativa para o crime. O familiar disse também que, quando apareceu uma segunda vítima, a família percebeu que as mortes eram muito semelhantes.

Outra testemunha, um sargento da Polícia Militar disse que encontrou o corpo em um carro. Ele afirmou que precisou quebrar o vidro do veículo para entrar e retirar a criança que estava no colo da mulher, seu filho de 1 ano e 6 meses. A última testemunha de denúncia mora em frente ao local onde o carro foi encontrado, mas disse que não viu nada além do carro estacionado.

A única testemunha de defesa a depor disse que passava de carro próximo ao local e viu duas pessoas correndo, mas afirmou não se lembrar de nenhuma característica delas.

O crime

Conforme a denúncia, no dia 16 de abril do ano passado, a comerciante estava em seu carro, acompanhada pelo filho, no bairro Industrial, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. Ela foi abordada por Trigueiro, que simulou um assalto e determinou que ela conduzisse o carro para outro local.

Após manter relações sexuais com a vítima, o réu a estrangulou com um cadarço, causando-lhe a morte por asfixia. Em seguida, ele assumiu a direção do veículo e foi para um campo de futebol no bairro Alto dos Pinheiros, em Belo Horizonte. Lá, ele estacionou, colocou o bebê sobre o cadáver e fugiu, levando consigo o aparelho celular da vítima.

Trigueiro está preso na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte.